diyPowered

Mais que uma forma de economizar uns trocados e bem mais do que um hobby, o DIY é uma filosofia

Construir um equipamento qualquer desde seu esquema elétrico, testar cada etapa, repassar o projeto, pensar no design e ser o responsável por algo único e com um alto grau de qualidade é prazer para poucos. Como sou um desses poucos felizardos que desenvolvem suas próprias ferramentas, decidi que já era hora de manter meus feitos registrados em algum lugar. A intenção é registrar e compartilhar com os amantes do DIY - do it yourself, ou faça você mesmo - meus feitos aqui nas bandas do sul do país. Apenas isto.

Infelizmente não possuo o registro de todos os meus projetos. Mas, para que nada passe em branco, mesmo sem as fotos, postarei informações e características dos projetos que ficaram para trás.

O projeto diyPowered

Eu produzo quase tudo o que eu uso desde que me lembro de ter um ferro de solda e um multímetro. E dessa premissa nasceu o diyPowered - que na verdade já teve outros nomes mas passou a ser chamado assim em julho de 2014 - promovendo a reciclagem não somente do lixo eletrônico mas também do conceito poderoso criado e mantido pela indústria em série que obriga ao novo produzindo equipamentos cada vez mais frágeis, o que é comumente chamado no meio de 'descartável'. Sim, tudo hoje é feito para que não dure ou para que não possua a qualidade que se espera. Por que os receivers dos anos 80 ainda existem? Qualidade e bom senso da engenharia e do conceito de que cada projeto é único, o que infelizmente morreu.

Sobre mim

Meu interesse por eletrônica é latente e desde a minha infância na Zona da Mata de Minas Gerais, e minha curiosidade sobre como as coisas funcionam era o que me movia. Todos os brinquedos eletrônicos que tive, desmontei. E nunca conseguia remontá-los... E assim fui crescendo, curioso e com fama de desmontar tudo e acabar por estragar tudo. A certa idade, não mais me presenteavam com coisas eletrônicas por saberem que eu desmontaria e terminaria por destruir o presente. Eu, como pai ou mãe, incentivaria esse interesse desenfreado por algo tão presente e fundamental na vida de todos nós com presentes verdadeiramente construtivos, como mini laboratórios de eletrônica e kits de montagem de rádios, LEDs, amplificadores, etc. Mas não tive acesso a esses regalos.

Aos 12 anos, já ganhava alguns trocados - quando pagavam - reparando pequenos equipamentos, como rádios-relógios, eletrodomésticos, telefones fixos, vitrolas e brinquedos. Durante toda a minha vida, estudei bastante sobre tudo o que precisava saber e tudo aquilo o que despertava a minha curiosidade. Nunca busquei conhecimento inútil, daqueles que engenheiros e técnicos formados adoram colocar em pauta só para dizerem que sabem alguma coisa. Meu conhecimento vem de muita prática e teoria, desde projetos falhos até grandes e notáveis projetos que despertavam não somente admiração, mas também grandes olhos comerciais sobre meus feitos. Por esta razão, nunca forneço esquemas elétricos dos meus projetos. Já me aconteceu de desmontar um amplificador de potência de uma marca nacional e encontrar, de ponta a ponta, todo o esquema elétrico de um projeto antigo meu. E nesses fóruns e páginas de redes sociais voltados para o segmento DIY, é o que mais acontece. Apoio totalmente a disseminação do conhecimento, de resultados e de testes gerais, mas condeno a grande indústria que se utiliza desses meios digitais para copiar e reproduzir grandes ideias de anônimos, que nunca ficarão sabendo que sua criação está numa linha de produção e à venda, numa loja qualquer, sob seus narizes.

A arte da criação

A produção de antigamente era tão artística que cada produto tinha um carimbo, etiqueta ou selo com a data da produção e às vezes até a rubrica do funcionário responsável pela finalização. Tinha manual de instruções decente com dicas sobre o equipamento e tinha até esquema elétrico. Tudo era considerado e é por esta razão que quem entende de áudio e conhece os antigos receivers não abre mão dos vovôs por qualquer outro equipamento moderno. Hoje o que se vê são projetos de péssima qualidade, plástico por todas as partes, dissipação ineficiente e propositalmente condicionada para reduzir a vida útil dos componentes, fontes mal dimensionadas, componentes eletrônicos falsificados ou de má qualidade, manuais ridiculamente precários, manutenção dificultada pela utilização de componentes incomuns/importados/codificados... a lista é enorme. Por esta razão opto por desenvolver cada projeto de forma única, selecionando cada componente, calculando e prevendo tudo minuciosamente e testando etapa por etapa. Para que você entenda o que eu estou falando, o projeto do Vintage Pro II incluiu sessions pessoais com a placa sobre a bancada e guitarra em punho para que o pré-amplificador, o drive e o equalizador reproduzissem exatamente o timbre que eu queria. Isso sem falar nos testes com pedais e as audições das captações do áudio via Line Out e microfonado, as medições e ajustes da potência... Não me recordo quando tempo me tomou esse projeto mas a parte que menos me tomou tempo foi a montagem do gabinete. O resultado pode não ter sido perfeito no aspecto físico mas o timbre desse amplificador é impressionante.

Seja lá qual for a sua necessidade, diga não ao mercado e coloque seus projetos na bancada. Crie, inove, apresente soluções, reaproveite tecnologia para novas tecnologias.

Fundamentos do diyPowered

diyPowered é desenvolvimento de tecnologia orgulhosamente brasileira para produção de equipamentos e soluções autênticas absorvendo parte do lixo eletrônico gerado por pessoas e empresas.

Linha do tempo

Logo utilizado de 2012 até início de 2017, com linhas arredondadas e letras chapadas. A ideia era trazer o conceito do it yourself para o site com uma temática simples e com boa fixação. Até então, este era o logo oficial, utilizado em todos os veículos associados ao site.

  

Logo completamente renovado e utilizado a partir de 28 de março de 2017. A ideia principal em torno da nova proposta é enxugar o tamanho do logo, reduzir a fixação por letras e definir uma linha profissional a ser seguida. O texto adicionado - mind n' hands - faz com que toda a arte flua e seja integrada para a imagem do blog, tornando tudo parte de uma coisa só, sem adendos ou coisas do tipo. Você bate o olho e já sabe, você lê o texto e a imagem é implícita.


E a versão oficial para ilustrar os temas em vídeo e áudio que serão veiculados no site e também para utilização pública.



Nota legal, avisos e termos de uso

diyPowered, o logo diyPowered, a formatação da arte e todo o conteúdo utilizado na arte, incluindo a citação "mind n' hands" são de propriedade e uso exclusivos, não cabendo a terceiros a utilização indevida, a alteração, a veiculação e/ou quaisquer tipos de uso e/ou apropriação sem autorização prévia. Os projetos apresentados são de cunho particular, não comercializáveis e não distribuíveis a nível técnico. © 2012/2017 todos os direitos reservados sobre os textos, os projetos e todo conteúdo de uso exclusivo, salvo conteúdo de terceiros devidamente creditado e utilizado conforme disposto autorizado.