Microcontroladores/Arduino/Raspberry X Componentes discretos

Abrindo as portas para conteúdos informativos e de cunho técnico, já começo com alguma polêmica. Os mais jovens - experientes ou iniciantes - têm se encantado pelas possibilidades apresentadas pelos Microcontroladores, Raspberry e Arduino. Nada contra o uso destes conceitos, mas convenhamos que pela capacidade e custo dos componentes, é óbvio que não deveriam ser empregados em todo e qualquer projeto.

Sequencial com Raspberry/Arduino
Tenho lido pela Internet afora e visto muitas imagens de projetos relativamente simples que empregam Raspberry/Arduino ou PIC. Sinceramente, não acho justificável criar um projeto simples como acender LED's, sequenciais, timer, motor de passo ou coisas do tipo utilizando componentes tão caros e também acho um desperdício, já que para funções tão simples, alguns componentes discretos o fariam com muito louvor. E com baixo custo. Minha opinião é imutável quanto a utilização de um Core i7 para rodar Windows 95, se é que me entende.

Clássico sequencial com 4017
Os microcontroladores são ótimos aliados para soluções mais complexas, que requeiram maior atividade e melhor atribuição de comandos, sem falar na praticidade e simplicidade dos projetos que o adotam. A premissa vale para as placas Raspberry/Arduino e afins, que também possuem funções muito valiosas para quem desenvolve. Não estou aqui fuzilando quem aplica PIC ou Raspberry/Arduino em seus projetos - muito pelo contrário - e eu estaria sendo leviano porque aprecio a utilização de ambas as tecnologias para desenvolvimento. O que pretendo deixar claro é a falta de estudo de caso e, por vezes, até preguiça por parte do projetista em analisar os passos de um projeto para avaliar a necessidade real de utilizar um componente de alto valor operacional. Porque não acho muito inteligente acender luzinha com PIC, me perdoem.

Pessoalmente, valorizo muito mais quem projeta pensando na manutenção futura, principalmente na reposição de peças sem stress. E é claro, estamos falando de circuitos que empregam componentes discretos com CI's em seus respectivos soquetes, conectores facilmente substituíveis, capacitores com tensão de trabalho distante da tensão na placa, resistores com dissipação coerente, dissipadores generosos e por aí vai. Outro fator muito importante é a montagem dos componentes em um gabinete firme, com disposição inteligente de placas e fios e se necessário, com blindagem e filtros AC/DC. Mas isso é assunto para um outro dia.

Se você é um técnico experiente e faz uso de PIC's e Raspberry/Arduino para qualquer coisinha, repense. Se você é um novato na coisa toda, estude bastante antes de adotar estes conceitos para seus projetos mais simples e saiba que há muito potencial em componentes discretos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao comentar neste blog, você estará concordando de forma automática e amigável que o teor de seu comentário é de sua total e irrestrita responsabilidade, que Lucas Toledo não endossa ou compartilha de sua opinião e que este site não possui qualquer vínculo direto ou indireto com possíveis reações e/ou repercussão posteriores.

Ofensas, publicidade - incluindo comentários não produtivos com a intenção de divulgar blogs ou sites - ou qualquer conteúdo em desacordo com o blog não serão publicados.