Mostrando postagens com marcador dicas de reparo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador dicas de reparo. Mostrar todas as postagens

Reparos no Sony FH-G33AV - um clássico mini hi-fi component system

Session.

Bem-vindo aos anos de ouro da fabricação de aparelhos de som hi-fi! O Sony FH-G33AV é um aparelho muito bem construído, com caixas acústicas de três vias, processador digital de áudio com vários ajustes, display VFD completo, controle remoto, duplo tape deck, reprodutor de CD com bandeja para três discos, saída para subwoofer (requer caixa ativa) e entrada auxiliar. A geração streaming + bluetooth nunca vai entender o que um aparelho assim representa!

Pelo tempo de vida, está em excelente estado de conservação, mas apresenta aquelas características comuns nesse tipo de equipamento:

  • Correias arrebentadas ou deterioradas no tape deck e no mecanismo de abertura da bandeja/seleção dos CDs
  • Bastante sujeira interna
  • Mau contato no conector de entrada auxiliar (canal L inoperante)
  • Relé antipop/thump de saída com atuação intermitente (às vezes, não fecha os contatos)

Mas vamos ao que interessa, de fato: fiz uma ressolda na trilha do canal L do auxiliar, que estava mudo, resolvendo o problema. Esse dano pode ter sido causado por alguma manutenção anterior, ao tentar soltar o mecanismo dos CDs sem soltar todos os parafusos do painel traseiro, o que fez tração no conector e arrebentou a trilha. A limpeza interna foi um plus, não ia deixar sujo daquele jeito! Também repus a correia do mecanismo de abertura da bandeja, que não abria com perfeição por estar usando uma 'correia improvisada', literalmente a borracha de prender dinheiro. Só não lubrifiquei as partes móveis ainda porque preciso revisar o circuito de controle do relé de saída, para resolver aquela intermitência de acionamento - às vezes, ao ligar o aparelho, não tem áudio nas caixas porque o relé não 'atracou', bastando uma batidinha de leve na lateral do gabinete para que o relé abra as saídas. Quando eu for revisar esse circuito, aproveito pra lubrificar tudo e de repente, já reponho as correias do tape deck.

Entrada auxiliar (Video)


A entrada auxiliar precisa de um sinal 'mais forte' para que o volume seja satisfatório. Nesse ponto, vou precisar montar um pré-amplificador com ajuste de sinal para resolver essa questão, porque uso um media center na sala e o sinal dele não excita completamente os canais - vou aproveitar esse projeto e embutir uma seleção de canais múltiplos, porque pretendo conectar um turntable (vitrola, para os íntimos) também. Fora isso, é um excelente aparelho, com uma qualidade de construção que reflete diretamente na audição: graves profundos, médios bem definidos e agudos quase cristalinos graças ao querido - e odiado - STK4213II.

Amplificação e montagem


O coração do aparelho é o STK4213II - capaz de fornecer 20W + 20W com baixa distorção - da famosa série de circuitos integrados destinados à amplificação de potência que foi largamente aplicada em diversos modelos. Cabe aqui mais um comentário para a geração streaming + bluetooth: não é sobre potência, é sobre qualidade; de nada adianta um classe D tocando 1000W sem qualidade.




Datasheet completo aqui

Particularmente, eu gosto do timbre dos STK, embora a sua reposição nos dias de hoje tenha se tornado mais difícil por indisponibilidade ou por falsificação. Muitos técnicos optam por substituir essa potência por outros circuitos, anulando o projeto original com o STK e em muitos casos, aprimorando a qualidade com projetos de potências transistorizadas. Fico imaginando aqui como seria uma potência classe A tocando nesse aparelho, aproveitando o sinal de qualidade e o processador digital.

Caixas acústicas do Sony FH-G33AV (SS-H991SAV)


Produzida em madeira, revestida e com tela frontal removível, possui peso de gente grande e três vias, sendo um woofer 16 cm, tweeter de 5 cm e um super tweeter com 2 cm. A impedância é de 6 ohms, 25W de potência total e é magneticamente blindada. Não existe vibração audível e a qualidade de surpreende mesmo no rádio, graças ao amplificador e ao processador digital, que entregam tudo que podem nesse mini hi-fi component system.





Claro que tem fotos! Vou atualizar essa postagem de acordo com as próximas manutenções - o tape deck, o relé etc. - e se você tiver alguma dúvida sobre o modelo, segue aqui o manual do usuário e também o esquema elétrico (service) ou manual de serviço do Sony FH-G33AV.






Sujeira, temos!




Trilha refeita no canal L

Depois de reparar a trilha do conector do auxiliar e de repor a correia da bandeja dos CDs, claro que dei aquele talento no interior da joia, né!


Detalhe pro STK 4132 II







Reposição da correia


Reparo monitor LG Flatron W2243SV com placa inverter universal SQB 422 V 1.2

Session.

Tenho esse monitor há alguns anos e ele estava encostado num canto por um grave defeito que deu no inverter, destruindo parte das trilhas e tornando a recuperação um pesadelo. É meu segundo monitor LG de mesmo modelo, e tenho muito apreço por ele e pela qualidade da imagem, mesmo se tratando de uma tela antiga e com geração de vídeo somente VGA.

Como já havia estudado, existem algumas placas universais na China que salvam esses monitores com uma simples adaptação, por um valor muito interessante. Essa placa é a SQB 422 V 1.2 e não existem muitas informações sobre ela por aí. Por isso, fiz uma grande pesquisa e consegui algumas rasas informações sobre ela:

  • Entrada de tensão de alimentação entre 12V e 15V (máximo)
  • Em meus testes de bancada, consumiu cerca de 2,3A com as lâmpadas no brilho máximo
  • É possível usar jumper nas saídas para ligar telas com menos lâmpadas
  • Possui boa montagem, simples, com transformadores independentes
  • A aparência pode variar de acordo com a sua compra, mas a placa é a mesma

Claro que eu havia me esquecido que a tensão de trabalho do driver original é 22V e comprei essa placa sem pensar. Ah, mas você pode regular os 22V da fonte original; claro, eu tentei fazer isso e gerei muito calor, a perda é grande. A solução mais fácil foi instalar uma fonte adicional de 12V internamente para alimentar a placa, deixando os 22V originais somente como referência* para a placa de sinal. Por isso, quando você for comprar uma dessas placas inversoras CCFL universais, atente-se a esse detalhe da alimentação para poder usar a fonte original do monitor.

* a placa de sinal recebe 5V e 22V da fonte original. Se você ligar o monitor somente com os 5V, a placa até aciona normalmente, mas, ao desligar e ligar novamente, costuma acontecer de gerar erro na leitura dos 22V e o LED acender e piscar a cada 3, 4 segundos

Conectando os fios


A placa vem com quatro fios: preto GND, vermelho + 12V ~ 15V e dois amarelos. O fio amarelo ao lado do fio vermelho é conectado ao EN (enable) da placa de sinal e faz o acionamento do driver para acender as lâmpadas, enquanto que o fio amarelo ao lado do fio preto é quem faz o controle de brilho. A única 'queixa' foi que não consegui aproveitar o controle de brilho (dimmer) porque a placa de sinal desse monitor provavelmente possui alguma peculiaridade, dessa forma, não funcionou e eu mantive a configuração como está - sem o controle, as lâmpadas permanecem com brilho total. Assim, ao tentar controlar o brilho digital pelo menu, nada acontece. Demais funcionalidades que não usam o backlight seguiram funcionando, claro - contraste, cor etc.

No mais, não tem mistério nessa adaptação e eu salvei um ótimo monitor para usar como primário - tenho outro de 19" que será usado como secundário. 

Antes de qualquer coisa, tenha muito cuidado ao realizar qualquer tipo de reparo, modificação, ajuste ou intervenção em equipamentos elétricos ou eletrônicos. Primeiramente, pela sua segurança. Não me responsabilizo por quaisquer prejuízos que você possa causar ao equipamento, a você e/ou a terceiros. Faça por sua própria conta e risco.

Resolução máxima do monitor

Visão geral SQB 422 V 1.2

Parte inferior da SQB 422 V 1.2

Driver original com trilhas destruídas

Detalhe da fiação SQB 422 V 1.2

Primeiros testes

Placa de sinal do LG W2243S

Lâmpadas acesas após anos!

Fonte adaptada para o inverter

Fechado o monitor

Sim, troquei o LED original vermelho por este!

Detalhe do LED verde

Reparo estabilizador APC 300VA LE300BI-BR

Não concordo com o uso indiscriminado de estabilizador de força não, mas há casos e casos. O exemplo a seguir, ilustra uma das formas corretas de aplicar o estabilizador de tensão.

Em redes 220V, normalmente se mede até perto dos 238V dependendo da região e do horário. Aí que entra o perigo: a maioria das fontes chaveadas possui um range de 90V aos 240V. Fontes de qualidade podem chegar ao range de 85V a 265V, mas isso é raro de se ver. Aqui que entra nosso herói/vilão estabilizador.

Esse APC é bem montado, como quase todo equipamento da marca. Possui uma linha bem protegida por varistores e alguma filtragem meia boca, como a maioria dos estabilizadores de pequeno porte. Mas isso não é um problema, já que as fontes dos equipamentos que serão ligados nele já possuem uma boa qualidade nesse quesito. Ele é utilizado por mim na sala de casa para uma TV 32", um media center - um PC que tenho há anos para filmes, séries etc.- e um roteador wi-fi que trabalha como extensor - pega meu wi-fi 5.0 GHz e joga no media center via ethernet - operando com uma boa margem de segurança nos seus 300VA de potência máxima.

Desde que me mudei para o Rio Grande do Sul, tive que aprender a respeitar os 220V da rede elétrica - de onde eu vim, era 127V. Por isso sempre utilizei o estabilizador de tensão para proteger equipamentos mais caros, tanto pela tensão de alta da rede 220V quanto pela camada adicional de proteção contra surtos e sobretensões. Seguro morreu de velho e essa forma de utilizar o estabilizador sempre me rendeu bons resultados - nunca perdi nenhum equipamento conectado nele. Quando tive surtos na rede, o estabilizador neutralizou ou se sacrificou. 

Essas fotos são mais antigas, de quando troquei meu antigo estabilizador - um dos que deram a vida pela TV e media center! Esse APC foi reaproveitado de um descarte, estava com alguns pontos de solda quebrada e com a tomada de força derretida e sem o pino terra.
 

Cabo de força em péssimo estado

Cabo de força novo

Detalhe da placa

Retrabalho na solda

Retrabalho na solda

Termorretrátil é parceiro



Reparo nobreak APC Schneider SMC2200BI-BR Smart UPS BR 2200VA (não liga)

Session.

Gosto bastante dos equipamentos APC Schneider, quase tanto quanto os SMS. Esse carinha aí nem ligava, ficava só em espera. Também não carregava as baterias, ficando totalmente inoperante. A solução é simples, nesse caso: o diodo D805 estava em curto. Só isso. Claro que você precisa revisar TUDO antes de sair ligando um nobreak - ainda mais desse porte!
 


Como não tinha o esquema, usei um
Schottky de 3A (coringão)


Modelo do APC




Compartilhe com alguém!